Embora a historiografia dos movimentos messiânicos seja até um pouco extensa e antiga, já que, o termo tem suas origens no judaísmo, e se difunde pelo o mundo até os dias atuais, é pertinente a abordagem, tendo em vista a importância histórica- social desse fenômeno no Nordeste brasileiro.

Restringindo-se ao sertão nordestino, temos o Antonio Conselheiro de Canudos-BA; Pe. Cícero Romão Batista do Juazeiro do Norte–CE e o Beato José Lourenço dos Caldeirões – CE. Esses homens, cada um em seu tempo, são as figuras mais conhecidas neste contexto messiânico, porém, do Beato Pedro Batista da Silva, o curador, apesar de sua importância e influência, pouco se sabe, e do que se sabe, chama atenção a sua atuação como líder político ou religioso e pouco se aborda sobre o legado cultural incentivado e deixado por ele

Dia 13 de abril de 2018 as 19 hs no memorial da Chesf em Paulo Afonso com apoio da ALPA academia de letras  o escritor Alcivandes Santos Santana lançou a 2º edição de sua obra sobre Pedro batista: O Messianismo de Pedro Batista e a cultura popular em movimento.

O escritor Alcivandes Santos Santana faz um resgate histórico da figura pública de Pedro Batista e sua influência religiosa e política em Santa Brígida Bahia como foi a vivencia de Pedro Batista no sul do Brasil e depois no nordeste brasileiro por onde passou o que fazia, como cativou nas pessoas admiração, e o porquê  das  perseguições onde chegou ate ser preso.

Fala ainda da sua chegada em santa Brígida que foi um dia de segunda feira a tardizinha, quais foram os benefícios, os atos políticos, religiosos e de empreendedorismo, ou seja, é um resgate da cultura de Santa Brígida.

Por Radio Cidade FM – Santa Brigida e Alcivandes Santana

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here