Esquema de propina na Fetranspor desviou R$ 120 milhões e aumentou valor da passagem no Rio, diz delator

A delação do ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lélis Teixeira, revela que em um período de 10 anos houve desvio de R$ 120 milhões para pagamento de propina a pelo menos 30 políticos.

A informação, publicada no jornal O Globo nesta terça-feira (19), mostra que o ponto mais prejudicial aos passageiros foi o reajuste das tarifas das linhas intermunicipais em 2017. Segundo Lélis Teixeira, a inflação no período foi de 6,99%, mas as empresas obtiveram mais que o dobro (14,83%) de aumento.

Durante a delação, Lélis afirmou que a Fetranspor conseguiu um percentual maior alegando que seria para cobrir gratuidades concedidas a estudantes da rede pública e pessoas com necessidades especiais.

As empresas de ônibus também conseguiram benefícios ficais, como redução do IPVA e isenção do ICMS em 2014, época em que Sérgio Cabral, do MDB, governava o Rio de Janeiro.

Fonte: G1 RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *