Em tempo de pandemia e isolamento social, Bahia fecha mais de 32 mil postos de trabalho

Em todo o país, a pandemia do novo coronavírus tem impactado fortemente o mercado de trabalho. Na Bahia, somente no mês de abril, foram fechadas 32.482 vagas de trabalho com carteira assinada, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (27), pelo Ministério da Economia.

O resultado decorre da diferença entre 23.170 admissões e 55.652 desligamentos. No primeiro quadrimestre do ano, o saldo também é negativo no estado: diminuição de 37.538 postos formais.

De acordo com o levantamento, o comércio liderou as demissões em abril no território baiano. Foram eliminados 9.582 postos de trabalho formais. Em seguida, aparecem os setores de alojamento de alimentação (-7.362), construção civil (-5.585), informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais de atividades administrativas (-3.304) e indústrias de transformação (-2.891).

As perdas de emprego formais atingiram os principais municípios baianos, com destaque para Salvador (-10.401 vagas), Camaçari (-2.449), Feira de Santana (-2.230) e Vitória da Conquista (-1.742).

A Bahia ocupa a 9ª posição em geração de empregos formais entre os estados nordestinos, e a 21ª entre todos os estados brasileiros. A crise se desdobrou por todo o país. Todos os estados fecharam postos de trabalho com carteira assinada.

Fonte: bahia.ba